O que são as especificações ANSI/EIA – D-NET

Inscreva-se em nosso newsletter

Fique por dentro das novidades
X

O que são as especificações ANSI/EIA

Quando o objetivo de uma empresa é a prestação de serviços ao usuário, é importante estar por dentro de tudo que garanta, tanto para o fornecedor quanto para o consumidor, a qualidade e a eficácia dessa troca. Para os grandes e pequenos provedores de internet, por exemplo, existem especificações de cabeamento de rede que são de extrema importante para o bom funcionamento do seu negócio. Pensando nisso, a D-NET explica o que são e para que serve a norma ANSI/TIA.
Para manter o bom desempenho e a estabilidade de uma rede, o projeto de cabeamento deve ser uma das prioridades na abertura de um negócio. A interligação dos computadores e demais ferramentas tecnológicas utilizadas no espaço deve ser bem pensada no que diz respeito a diversos aspectos como a taxa de transmissão, a facilidade de instalação, largura de banda, disponibilidade de componentes, entre outros fatores que determinarão a qualidade do seu serviço.


Há cerca de 30 anos, cada empresa definia a sua própria instalação de cabos. Por isso, com o objetivo principal de padronizar fios e cabos para telecomunicações em prédios comerciais, depois de várias alterações e aperfeiçoamentos, a ANSI (American National Standards Institute) e a TIA (Telecomunications Industry Association) estabeleceram a última versão da norma, denominada ANSI/TIA-568-C.


A resolução propõe um projeto genérico para o cabeamento que englobe todas as categorias, seja edifício comercial típico, residencial, industrial ou Data Center e é composta dos seguintes documentos: cabeamento de telecomunicações genérico para as dependências do cliente; cabeamento de telecomunicações para edifícios comerciais; cabeamento de telecomunicações em par balanceado e componentes e componentes de cabeamento em fibra ótica.


Estabelecer esse padrão traz diversos benefícios, principalmente para a empresa. Uma vez que todos os sistemas de cabeamento possuem as mesmas regras de instalação e manutenção, o responsável pelos equipamentos não fica refém de apenas um fornecedor. Caso seja necessário ampliar a rede ou fazer alguma alteração, é importante que todos os aparelhos sejam interligáveis. Dessa forma, é possível dar continuidade ao sistema, podendo obter os produtos de outros provedores, independente de onde estiver.