3 dicas essenciais para se tornar um provedor de internet – D-NET

Inscreva-se em nosso newsletter

Fique por dentro das novidades
X

3 dicas essenciais para se tornar um provedor de internet

Iniciar um negócio do zero é uma tarefa que exige todos os tipos de investimento: capital, tempo, pesquisa, trabalho etc. Analisar e investigar todas as dicas e obstáculos que permeiam o seu mercado de trabalho, é muito importante para dar o primeiro passo rumo à um empreendimento de sucesso. Pensando nisso, a D-Net separou algumas dicas para se tornar um provedor de internet.

1. Licenciamento

Para iniciar os trabalhos nessa área, é necessário ter uma autorização de Serviço de Comunicação Multimídia. Essa licença é concedida apenas para Pessoa Jurídica e é fornecida pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Após pagar o valor da taxa, que é calculada de acordo com a dimensão do seu provedor, é possível exercer a função sem mais preocupações.

2. Linhas e equipamentos

Esse é o momento de investir. Embora seja custoso, pensar em qualidade a longo prazo é o que trará o diferencial na sua empresa. OLT, ONUs, conectores switches e roteadores a nível empresarial que consigam operar em boa capacidade para altas demandas vão garantir o melhor desempenho para o seu negócio. Já na escolha da linha, a melhor forma de manter uma boa conexão é utilizar a fibra óptica de alta velocidade. Dessa forma, é mais garantido estabelecer o melhor atendimento ao cliente.

3. Troca de tráfego e espaço físico

Garantir a adesão e a permanência do consumidor é um dos maiores desafios de um provedor de internet. Por isso, ter sua própria conexão à internet e um link de redundância são dois fatores muito importantes para garantir que seu cliente esteja conectado 24/7. Também pode ser feito um acordo de tráfego com dois ou mais provedores de acesso, para que seja possível assegurar a conectividade da rede e, com isso, minimizar a evasão de clientes.

O local onde será ambientada a sua empresa também precisa ser bem escolhido. É necessário observar se há instalações adequadas para abrigar o data center, onde seja possível rotear cabos, comportar geradores de energia e demais equipamentos que compõem a boa execução do serviço que será prestado.