BLOG

Blog

Anatel decide levar fibra óptica para mais de 1.500…

No dia 26 de novembro, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) aprovou uma minuta de uma proposta para levar fibra óptica a todos os municípios do país onde essa rede ainda não existe. Com o mesmo saldo que seria usado para as metas de 4G, será possível levar essa tecnologia até 1.511 cidades. Segundo o relator da proposta no Conselho Diretor da Anatel, Emmanoel Campelo, com essa substituição, até 2025 todas as sedes municipais brasileiras estarão conectadas por rede de fibra óptica.

De acordo com o projeto, ao invés da implantação de banda larga de quarta geração (4G), as novas medidas vão trabalhar com as metas de comunicação por meio do backhaul, que são as linhas de alta capacidade de transmissão de dados. Com essa universalização, torna-se cada vez mais essencial ao provedor de internet estar preparado para lidar com a demanda. Um vez que o mercado expande, para se tornar mais competitivo no mercado, as empresas de telecomunicação precisam acompanhar o ritmo dessa evolução.

Otimizar os sistemas e investir nas melhores ferramentas, pode ser o diferencial para as empresas que pretender aumentar seu número de adesão no mercado das telecomunicações. E pensando sempre fornecer o melhor serviço com a melhor qualidade de produtos e sistemas, a D-NET é uma empresa que trabalha na fabricação de soluções para ativos de rede, equipamentos de teste e ferramentas, oferecendo switches, KVMs, módulos SFP, media converters, injetores PoE, ONUs, testadores e ferramentas. Além disso, traz ao mercado os melhores, com excelente relação de custo e benefício.

Blog

Entenda porque o switch de rede pode otimizar sua…

Acompanhar o desenvolvimento das tecnologias é um desafio constante das empresas, principalmente as que lidam diretamente com aparelhos de otimização de sistema. Provedores de internet, por exemplo, precisam estar atentos ao mercado, para se tornarem competitivos e captarem cada vez mais adesão de serviços. Isso inclui investir em ferramentas e aparelhos que tragam esses benefícios de forma mais prática e eficaz. Uma das opções de ativos de rede que atende a essa demanda é o switch.

O switch de rede é responsável por conectar computadores a uma rede local e permitir a transmissão de informações entre as máquina. Esse aparelho é considerado uma evolução do hub, pois além de desempenhar o mesmo papel, possui melhorias no desempenho e na personalização de seu funcionamento. A principal diferença é que o switch encaminha as informações para apenas uma máquina de destino, pois registra o endereço MAC dos dispositivos ligados a cada porta.

O uso do switch tem crescido bastante por conta de seu ótimo custo benefício e seu desempenho de soluções mais completas e personalizadas. É possível selecionar a ferramenta tanto de acordo com o tamanho da rede interna como também pelo volume do tráfego de dados. Por conta dessa otimização do sistema, o switch minimiza possíveis erros que poderiam gerar prejuízos e, por consequência, proporciona uma significativa redução de custos.

Além dessa gama de benefícios, embora a ferramenta permita um compartilhamento fácil de informações, por conta da sua eficiência operacional, os sistemas de dados são dificilmente rackeados e qualquer ataque é combatido de forma assertiva.

Blog

Entenda porque a conexão via fibra óptica é a…

Seja para uso profissional ou para uso pessoal, ter uma boa qualidade e internet é, cada vez mais, uma das maiores preocupações dessa geração. Afinal, com a constante evolução dos meios tecnológicos, as empresas que percebem esse movimento gradativo, estão migrando para as plataformas digitais rapidamente. Por essa razão a demanda por esse serviços online aumenta. Mas qual seria a melhor opção de internet que não falhe e garanta uma boa conexão? Atualmente, a melhor opção do mercado é a fibra óptica e sabendo disso, a D-NET explica um pouco mais sobre esse tecnologia que trabalha com a velocidade da luz.

O cabo de fibra óptica tem uma capacidade enorme na velocidade da transmissão de dados em longas distâncias. Isso porque ele é um filamento flexível e transparente (que pode ser de vidro ou plástico) mais fino que um fio de cabelo humano, porém é capaz difundir bilhões de bits de dados por segundo e não sofre interferências eletromagnéticas de outras redes de comunicação. Por conta de todas esses benefícios, a perda de sinal e qualidade é pouquíssima.

Ou seja, caso você seja um provedor de banda larga ou trabalhe com telecomunicações, investir nessa tecnologia de rede é ser assertivo e pensar no seu negócio a longo prazo. Por conta dessa estabilidade de conexão, na qualidade da transmissão e da velocidade de dados, a fibra óptica vem ganhando cada vez mais o mercado em comparação ao fio de cobre, por exemplo. A potência do sinal garante ao consumidor uma maior qualidade no carregamento de páginas, downloads de arquivos, comunicação por videoconferência, entre outras facilidades digitais.

Além de todas as vantagens da fibra, que, em conjunto, fazem dela uma das melhores tecnologias para internet do mundo, sua instalação também é mais fácil. Por conta da sua espessura e sua flexibilidade, é possível adaptá-la em praticamente qualquer ambiente. Ela é também a opção mais segura, no que diz respeito a falhas técnicas e acidentes. Por utilizar luz na transmissão de dados ela não corre o risco de superaquecer ou sofrer interferência por conta de mudanças climáticas.

Você sabia?

A fibra óptica é considerada uma tecnologia à prova de futuro, pois, até hoje, não foi encontrado seu limite de transmissão de dados. Ao contrário do cabeamento metálico, a fibra é um investimento seguro à longo prazo por ter uma durabilidade e uma provável vida útil muito maior. O limite fica por conta apenas dos equipamentos das pontas, como switches, OLTs e ONUs. Conforme esses equipamentos vão sendo aprimorados, a fibra vai acompanhando o ritmo e, por isso, não está condenada a ficar defasada com o passar do tempo.

Blog

5 dicas para estruturar um provedor de internet

A rede de telecomunicações é um mercado que cresce cada dia mais no Brasil. Para além das grandes empresas, os pequenos provedores de internet, também chamados de ISPs (Internet Services Providers), vêm ganhando cada vez mais espaço e assumindo seu lugar de liderança. Empresas de prestação de serviço banda larga estão entre os setores mais promissores na economia e representam um investimento vantajoso quando o assunto é abrir um novo negócio. A parte mais complicada é saber por onde começar. Pensando nisso, a D-NET separou cinco dicas importantes que podem te ajudar a montar seu próprio provedor de internet.

Conheça a região e monte um projeto de rede

Fazer uma pesquisa de mercado e conhecer a região em que pretende iniciar seu negócio é fundamental. Determinar o espaço, a quantidade de ruas e casas as quais pretende atender, estar atento às questões geográficas que podem afetar a qualidade do seu serviço, conhecer seu público e seus concorrentes são estratégias que podem estar presentes no seu projeto de rede. Isso vai permitir que você consiga avaliar os riscos, otimizar as soluções e visualizar melhor quais os pontos fortes e em quais será necessário um maior investimento.

Obtenha a licença

Essa é a etapa mais importante. Começar um negócio com todas as questões burocráticas em dia, é um dos primeiros passos para fazer com que o seu empreendimento seja promissor e duradouro. Para ser um prestador de SCM (Serviço de Comunicação Multimídia), é necessário ter a autorização da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que só é concedida para Pessoa Jurídica e tem por objetivo monitorar a fiscalizar os serviços banda larga. É necessário pagar um taxa para regularizar sua empresa, mas caso seu provedor tenha menos de 5 mil assinantes, é possível conseguir isenção.

Compre bons equipamentos

Para que seu negócio já se inicie com qualidade de serviço, é preciso pensar em investir nos equipamentos adequados para ser um bom provedor de internet. Além das ferramentas básicas como linhas telefônicas, modems, softwares, computadores, e servidores de rede, existem outros sistemas necessários para prestar o serviço de banda larga. Confiar em uma boa empresa que fornece soluções inteligentes para ativos de rede e que conhece as necessidades e expectativas desse mercado, vai ajudar no melhor desenvolvimento do negócio e otimizar o trabalho como um todo. Alguns dos equipamentos necessários são: Optical Network Terminal (ONT/ONU), cabo drop low fiction, caixas de emenda e de terminação, splitters, switches, conectores, Optical Line Terminal (OLT), OTDR e máquina de fusão.

Invista em marketing estratégico

Sabendo que o mercado das telecomunicações é um setor muito competitivo, pensar em marketing estratégico de vendas é um diferencial que trará destaque para a sua empresa. Por ter esse caráter dinâmico de crescimento, esse meio está em constante mudança. Por isso, saber alinhar a expectativa do cliente com a qualidade da prestação do seu serviço é o que vai fidelizá-lo. Esse investimento vai permitir maior articulação das vendas. Ao estabelecer um contato mais direto com o consumidor, entendendo o interesse principal do público alvo, é possível definir um foco para buscar novas tecnologias e, consequentemente, o aprimoramento e crescimento do seu negócio

Priorize a qualidade de atendimento

Um dos maiores desafios de manter um negócio em bom funcionamento, é saber como manter uma qualidade de atendimento ao cliente. A fidelização do consumidor depende da garantia de um bom serviço prestado. Além do investimento adequado em um planejamento estratégico de distribuição a respeito da quantidade de funcionários necessários para o tamanho do provedor, que também está relacionado ao número de usuários, o atendimento remoto ao consumidor, tanto na hora da venda quanto na hora das dúvidas e reclamações, deve estar alinhado com os ideais da empresa. Um dos segredos de todo empreendimento de sucesso é saber como desenvolver uma relação de respeito entre funcionários e consumidores, visto que são pilares imprescindíveis para o negócio. Investir em cursos de capacitação para sua equipe, assim como na contratação de uma boa companhia de call center irão auxiliar na especialização do atendimento.

Blog

Saiba a diferença entre alinhamento pelo núcleo e alinhamento…

Quando falamos sobre tecnologias PON, qualidade e velocidade na transmissão de luz e avanço na fabricação das fibras ópticas, por mais garantidas que sejam as opções do mercado, existem sempre algumas questões importantes a serem pensadas para assegurar o melhor funcionamento dos equipamentos e, consequentemente, uma prestação de serviços mais assertiva e eficiente. É necessário entender todos os procedimentos que podem causar qualquer interferência na dinâmica de trabalho e da empresa.

Ao utilizar a fibra óptica, por exemplo, toda vez que se faz necessário uma emenda, o ar nessa abertura causa reflexão de Fresnel, que resulta em uma pequena perda no desempenho. Mas o que isso quer dizer em termos de qualidade de serviço? Com essa perda de luz, também se perde a velocidade de transmissão, que pode acarretar problemas diversos, principalmente quando o produto oferecido pela empresa tem ligação direta com conexões de rede. E para diminuir esse prejuízo, quanto mais preciso for o alinhamento, menor é a perda.

Para fazer o alinhamento, é necessário utilizar uma máquina de fusão. Existem dois tipos de alinhamento de fibra: pelo núcleo e pela casca. A peça responsável unir a fibra nas máquinas com alinhamento pela casca é chamada de V-Groove. O sistema de alinhamento pela casca funciona a base de apenas dois motores, fazendo o V-Groove se movimentar para frente e para trás, aproximando as duas fibras. Por isso, geralmente, esse equipamento é mais barata e pode ser eficiente para fibras mais novas.

Já o alinhamento pelo núcleo conta com seis motores: dois que movimentam a fibra de trás para frente, dois de cima para baixo e dois no sentido do comprimento da fibra. Até cerca dos anos 2000, a centralização do núcleo não era muita exata, pois não havia um diâmetro padrão de casca e núcleo. Atualmente, esse procedimento garante um alinhamento perfeito da fusão. É um produto com um valor superior de investimento, porém muito mais versátil, já que é capaz de trabalhar tanto com fibras novas e antigas, com diferentes padrões de fabricação, até para os casos em que é necessário fazer a junção de cabos principais.

A DN-CORE-90BT da D-NET é uma máquina de emenda com alinhamento pelo núcleo que possui uma performance estável mesmo em ambientes hostis. Além disso, ela oferece uma interface gráfica configurada via bluetooth, que pode ser controlada pelo smartphone, desde calibração e tempo de aquecimento, até tipo de fibra e trocas de eletrodos. É robusta e resistente, à prova de poeira e de choque, possui tela LCD de alta resolução de 5″ e é, atualmente, uma das mais rápidas máquinas de emenda no mercado, realizando emendas em 6 segundos.

Blog

Entenda a diferença entre a emenda mecânica e a…

Quando o assunto é a qualidade do produto oferecido, o diferencial em qualquer empresa de prestação de serviços é estar atento aos cuidados e a boa funcionalidade de todos os equipamentos e materiais responsáveis por proporcionar o trabalho final bem feito. E falando sobre empresas de rede e sobre fibra óptica, existem algumas questões importantes a respeito da boa utilização da ferramenta, que podem ser benéficas não só para o desempenho do aparelho, mas também para o negócio como um todo.

No contexto dos data centers, ou do espaço físico dos pequenos provedores de rede, por exemplo, são necessárias manutenções frequentes, alterações e otimizações dos aparelhos para agregar cada vez mais eficiência no serviço. Por vezes, é necessário fazer uma emenda de uma fibra na outra, e, dependendo do procedimento, a perda de luz pode ser maior ou menor. Existem dois tipos diferentes de emenda: mecânica ou por fusão. Já a fusão, é possível realiza-las de duas formas diferentes: pelo núcleo ou pela casca (mas essas explicaremos no próximo texto).

Voltando às emendas mecânicas: são feitas via conectores e possuem um alto desempenho e durabilidade. Por não necessitarem de uma máquina de emenda para executar o trabalho, acabam sendo mais rápidas, práticas e baratas. A desvantagem é a leve perda na precisão. Mesmo obtendo-se bons resultados, não é possível garantir a “perfeição” na execução do procedimento por esse meio.

Já a emenda por fusão é feita por máquinas, onde há uma fusão por ganho de temperatura, que esquenta as fibras até que elas se unam. Essa junção é mais precisa, principalmente quando a fusão é feita por alinhamento pelo núcleo. Ou seja, tem menor perda do sinal óptico e, consequentemente, menor perda de velocidade. Embora seja um procedimento que exija um investimento mais alto do que o mecânico, tem maior chance de eficácia no resultado final.

Precisa de ajuda? Fale com nossa equipe pelo WhatsApp ;)
Enviar